Como ser mais Inteligente

ESTRATÉGIAS PARA FICAR MAIS INTELIGENTE

As pessoas tendem a acreditar que a capacidade cognitiva (inteligência) é algo que nos é dada quando nascemos.

Mas os estudos revelam que a inteligência pode ser trabalhada tal como trabalhamos os músculos do nosso corpo.

Da mesma forma que vai ao ginásio para trabalhar o seu corpo, saiba que deve também encontrar actividades que lhe permitam melhorar a sua capacidade intelectual.

Aqui ficam uma lista de sugestões que o podem vão tornar mais rápido de raciocínio.

como ser mais inteligente

QUESTIONE TODAS AS COISAS

Não aceite as informações que lhe são dadas sem fazer questionar o porquê das coisas. Pior do que a falta de conhecimento é a ilusão de que sabemos as coisas! A curiosidade infinita é fundamental no processo de aprendizagem contínua.

O questionamento permanente das coisas torna-se um modo de funcionamento do seu cérebro. Esta atitude tornará o seu cérebro mais resiliente.

MANTENHA-SE INFORMADO

Para estar informado sobre a actualidade, é necessário que ouça e leia com atenção as notícias. E para compreender as coisas tem que pensar e reflectir sobre a informação que recebe.

Reserve pelo menos meia hora do seu dia para ler algumas notícias. Ouvir ou assistir a notícias também é útil mas nada substitui a leitura. Ler obrigará o seu cérebro a uma maior concentração que se transformá em agilidade intelectual.

leia jornais para ser mais inteligente

MANTENHA CONTACTO COM PESSOAS INTELECTUALMENTE ESTIMULANTES

As pessoas mais inteligentes têm coisas mais interessantes para conversar e fazem-nos pensar mais e melhor. Escolha os seus amigos também pelo estímulo intelectual que estes lhes podem facultar.

Se os seus amigos (ou familiares) forem pessoas cultas e inteligentes então seguramente que vai aprender com eles e vai poder discutir diferentes pontos de vista sobre os mais variados temas.

ENSINE E PARTILHE INFORMAÇÃO

A melhor forma de apreender uma informação é transmiti-la a alguém de forma clara e organizada. Ao ensinar uma ideia, uma teoria ou um conhecimento técnico, temos obrigatoriamente de rever e consolidar esse mesmo conteúdo.

Este esforço de organização mental é um excelente exercício mental que lhe vai melhorar as suas conexões mentais. Aprender para ensinar é o “ginásio” do cérebro.

APRENDA UMA NOVA LÍNGUA

Ser capaz de aprender outra língua é sempre uma vantagem em todas as circunstâncias! No entanto, um novo estudo descobriu que alargar os seus conhecimentos linguísticos o ajudará a pensar melhor e de uma forma mais apurada!
A Universidade de Glasgow comparou 100 estudantes de línguas e humanidades para verificar o impacto dos seus estudos na agilidade do seu cérebro.
Os investigadores concentraram-se na sua capacidade de se concentrarem em sons específicos, alternando entre a contagem para cima e para baixo.

Resultados dos jovens estudantes

Quando verificamos os resultados dos jovens estudantes que (recentemente) começaram a aprender um novo idioma (português, alemão ou italiano) e comparamos com os estudantes do quarto ano (quase fluentes), podemos ver que os estudantes que já estavam a aprender outro idioma há muito tempo eram mais capazes de filtrar e memorizar detalhes relevantes.


Estudos mostram-nos que aprender uma nova língua não só é óptimo para a carreira e vida social das pessoas, como também tem efeitos positivos nas funções cognitivas do cérebro que vão para além da língua que o aluno está a aprender.

Os antigos alunos desta investigação mostraram uma melhoria significativa das funções cognitivas. Os estudantes de línguas não só melhoraram as suas competências linguísticas, como também melhoraram nos testes “atencionais”.

Estas conclusões são uma prova que mostra claramente os benefícios da aprendizagem do português ou de qualquer outra língua estrangeira. Mais resultados da Universidade de Edimburgo revelaram que falar outra língua melhora as capacidades de pensamento mais tarde na vida e este facto pode atrasar o aparecimento da demência e de outras doenças cerebrais.


Então, de que está à espera para se juntar às nossas aulas?


APRENDER UMA SEGUNDA LÍNGUA – EFEITOS NO SEU CÉREBRO

Se decidiu aprender outra língua, ficará curioso e feliz por saber que isto pode ter um efeito positivo no seu cérebro.
Mesmo que isso aconteça na vida adulta! Muitos investigadores defendem a ideia de que a leitura, a fluência verbal e a inteligência foram melhoradas num estudo com 289 pessoas testadas, com 11 anos ou na casa dos 60 anos.
Estudos sugerem que ser bilingue atrasa o início da demência por muitos anos.
A grande questão neste estudo era saber se a aprendizagem de uma nova língua melhorava as funções cognitivas ou se os indivíduos com melhores capacidades cognitivas eram mais propensos a tornar-se bilingues.

EFEITOS


Os resultados indicam que aqueles que falam duas ou mais línguas tinham capacidades cognitivas significativamente melhores em comparação com o que seria de esperar do seu teste de base.
Os efeitos mais fortes foram observados na inteligência geral e na leitura. Os efeitos estavam presentes naqueles que aprenderam a sua segunda língua tanto cedo como mais tarde na vida.
O padrão encontrado era “significativo” e as melhorias na atenção, foco e fluência não podiam ser explicadas pela inteligência original.
“Estas conclusões são de considerável relevância prática. Milhões de pessoas em todo o mundo adquirem a sua segunda língua mais tarde na vida. O nosso estudo mostra que o bilinguismo, mesmo quando adquirido na idade adulta, pode beneficiar o cérebro envelhecido”.

aprender línguas

Fado em Lisboa

O FADO

“O Fado é a expressão musical da Alma de Lisboa!”

Que magnífica definição! Nenhuma outra transmite tão claramente a ligação entre Lisboa e a música que lhe corre nas veias.

Há dois tipos de fado: o fado de Lisboa (e Porto) e o fado de Coimbra. Em Lisboa e no Porto, o fado é cantado sempre por apenas um cantor.

Em Coimbra, este tipo de música é normalmente cantado por estudantes da Universidade de Coimbra.

O fado de Coimbra também contém humor e temas políticos que podem ser divertidos e polémicos.

Em 2011 o Fado foi classificado pela UNESCO como património da humanidade.

cuca roseta fadista lisboa

A ORIGEM DO FADO

A palavra Fado tem uma origem latina – fatum – palavra que significa destino.

É bem aceite a ideia do Fado ter aparecido na primeira metade do século XVIII, nos subúrbios das cidades. É nas tabernas dos bairros pobres que a frustração e o fatalismo encontram o seu espaço de crescimento e ganham forma num estilo musical melancólico e nostálgico.

Há uma ligação evidente entre o sentimento do fado e do tango. Mas o fado tem uma ausência de expressão corporal. O fado é introversão, intimidade e saudade.

É expressão da alma portuguesa. Uma alma suspensa entre o presente e o passado.  Uma alma que não esquece aqueles que pelo caminho ficaram. Uma alma que sangra mas que também cicatriza.

a origem do fado amália rodrigues lisboa

FADO – PRESENTE E PASSADO

O fado vive hoje (2020) tempos áureos. É hoje, pelas melhores razões, um símbolo de Lisboa e um símbolo de Portugal. O fado é actualmente procurado e apreciado por portugueses e estrangeiros.

Mas nem sempre foi assim. Entre 1933 e 1974, o fado manteve uma ligação estreita com o Estado Novo de Salazar (os famosos três F’s de Salazar: Fátima, família e Fado).

Com a chegada da democracia (revolução dos cravos – 25 de Abril de 1974), o fado viveu tempos difíceis e quase desapareceu das salas de espectáculo. A revolução trouxe consigo um corte com o passado e com os símbolos desse mesmo passado.

Mas nos últimos 15 anos o Fado renasceu. E com este renascimento uma nova geração de fadistas que hoje enchem salas de espectáculo um pouco por todo o país.

O FADO PROFISSIONAL E O FADO “VADIO”

É possível separar o fado em profissional e vadio.

O primeiro é cantado por artistas profissionais que vivem exclusivamente da música. Em 2020, são muitos os artistas portugueses que se dedicam exclusivamente ao fado. Os artistas profissionais cantam em salas de espectáculos e em conceituados restaurantes de fado.

O fado vadio, por sua vez, é cantado em pequenas tascas e bares (o bairro de Alfama e o bairro da Mouraria em Lisboa são dois exemplos flagrantes). Lá, cantam portugueses comuns (taxistas, eletricistas, advogados, gestores…) que partilham o amor pelo Fado.

Ouvir fado numa destas casas é uma experiência sociológica! Lá encontrará pessoas muito diversas e com níveis de talento muito distintos. Alguns cantam o fado muito bem e alguns cantam o fado muito… mal! As atuações menos talentosas são muitas vezes pura diversão!

O fado vadio é cantado pelo povo e para o povo! Cantar o fado vadio é uma catarse. É um meio de traduzir em palavras e em música o que nos vai na alma, o que nos alegra e o que nos magoa. É uma forma de partilhar com os outros “esta coisa da alma”.


fado em Lisboa

O FADO EM LISBOA, NO PORTO E EM COIMBRA – Diferenças

Em Lisboa e no Porto, o fado é cantado habitualmente nos centros históricos, nos seus bairros mais antigos. É cantado em tabernas, tascas e pequenas casas de fado. Os fadistas cantam os seus amores, os seus desamores, o seu amor pela sua cidade, o tempo que passou, as pessoas que perderam.

O fado canta a vida, canta a morte, as coisas que já não podemos mudar e o nosso destino (não se esqueça que “fatum”, a origem da palavra, significa precisamente destino). O fado é o reflexo do espírito português. O reflexo de um coração sofredor que subjuga a razão. Uma música tão bela quanto triste mas que nos aconchega a alma.

O homem que canta o fado fá-lo normalmente de fato escuro. A mulher canta o fado também de negro e com um xaile nos ombros.

O fado de Coimbra, apesar de ser igualmente melancólico, é cantado essencialmente por estudantes que cantam a vida de estudante, a vida em Coimbra, a juventude e os amores e desamores da vida de estudante.

Para cantarem o fado, os estudantes de Coimbra vestem fato negro e capa negra. Ouvir um grupo grande de estudantes de Coimbra, vestidos de preto a cantar fado é uma experiência belíssima. Um lamento entre guitarras que se espalha entre capas e vestes pretas.   

GRANDES FADISTAS (PASSADO E PRESENTE)

O fado está na moda! Esta tendência permitiu o aparecimento de um número muito grande de novos fadistas ao longo da última década (2010-2020).

Identificar os melhores fadistas portugueses do passado e do presente não é uma tarefa fácil e seguramente que não há uma opinião unânime.

Na nossa opinião, há 4 fadistas portugueses que se destacaram de todos os outros.

GRANDES FADISTAS DO PASSADO

ALFREDO MARCENEIRO (1891-1982)

Nasceu em Lisboa numa família pobre. Aos 13 anos, com a morte do seu pai, teve de ir trabalhar para ajudar a sua mãe no sustento da casa. Começou a cantar com amigos e rapidamente começou a ser solicitado pela facilidade com que cantava e improvisava.

Alfredo era um homem bonito, namoradeiro e famoso por andar sempre muito bem vestido e apresentado. Teve filhos de duas mulheres diferentes e pôs fim à sua vida de “dom Juan” quando conheceu Judite de Sousa Figueiredo. O amor entre Alfredo e Judite durou até ao último dos seus dias e dele nasceram três filhos.

Em 1924 ganha um concurso de fado mas na década seguinte (anos 30 do século XX), Alfredo ainda dividia o seu tempo entre os estaleiros da CUF e o fado.

Reformou-se em 1963 após uma carreira de sucesso numa festa comovente no teatro de São Luiz. A sua música mais famosa é provavelmente a “casa da mariquinhas”. Aqui fica.

AMÁLIA RODRIGUES (1920-1999)

A rainha do Fado e aclamada como A VOZ de Portugal!

Famosa em todo o mundo, foi um dos principais rostos de país durante muitas décadas. Era presença permanente em muitas rádios e televisões estrangeiras.

Inovou por ter começado a cantar poemas de grandes poetas portugueses (como servem de exemplo o poeta Luís de Camões, José Carlos Ary dos Santos ou Alexandre O’Neill).

Apesar da ligação estreita entre o Estado Novo (Salazar) e o fado, Amália viu muitas das suas músicas censuradas pela polícia política portuguesa (PIDE). Aquando da revolução, a fadista cantou o hino do 25 de Abril (Grândola Vila Morena) e de alguma forma reconciliou-se com o povo português. Terá inclusivamente apoiado financeiramente o partido comunista português.

Entre os inúmeros sucessos de Amália, destacamos a canção “Estranha forma de vida”. Aqui fica.

FADISTAS DO PRESENTE (E DO FUTURO)

MARIZA

Nasceu em 1973 em Lourenço Marques (atual Maputo e capital de Moçambique). Uma década foi suficiente para que Mariza se tornasse na voz mais importante de Portugal no mundo.

Mariza é hoje uma presença habitual em palcos mundiais famosos como são exemplo o Carnegie Hall em Nova Iorque ou a Salle Pleyel em Paris. Foi já aclamada pelo “Guardian” como “uma diva da música do mundo”. A potência e a beleza da sua voz é assombrosa. Escolhemos o fado “Gente da minha terra”.

CAMANÉ

Carlos Manuel Moutinho dos Santos nasceu em 1966 em Oeiras (distrito de Lisboa). Camané é, na nossa opinião, o melhor fadista português não apenas da actualidade, mas o melhor fadista português de sempre!

Camané reúne na perfeição tudo aquilo que o fado para nós representa. A sua voz e as suas músicas reúnem força, beleza, introversão, mágoa e esperança. Ouvir Camané é sentir Lisboa a tocar-nos na pele. É sentir o nosso passado, o nosso presente e nosso futuro através de uma canção. Para um Lisboeta como nós, ouvir Camané ao vivo é uma viagem interior e um turbilhão de emoções (choramos e rimos).

A nossa sugestão: “Acordem as guitarras”

ONDE PODE OUVIR FADO EM LISBOA?

FADO PROFISSIONAL

Para ouvir fado profissional de grande qualidade, deverá procurar uma sala de espectáculos e neste ponto do artigo já não será difícil adivinhar o nosso conselho…

Procure as datas e os locais dos concertos de Camané na sua página facebook. Os preços dos concertos variam entre 12€ (concertos em pequenas cidades portuguesas e 50€ nos grandes centros urbanos).

FADO DE QUALIDADE

Caso queira passar um belo serão a ouvir fado bem cantado, sugerimos que visite uma casa de fados tradicional. Lá, poderá jantar e assistir a um belo concerto de fado cantado por um cantor profissional de fado. Sugerimos:

CLUBE DE FADO

Situado no centro de Lisboa, próximo da Sé. O restaurante tem uma bela decoração que evoca e relembra o fado tradicional português (antigamente cantado em locais com paredes e colunas de pedra). O espaço é muito aconchegante e a comida é de boa qualidade.

As refeições são acompanhadas com fado e guitarra portuguesa. A maioria dos artistas não são fadistas de topo (não é o caso da fadista da imagem abaixo – Cuca Roseta, uma fadista muito conceituada em Portugal). Ainda assim, cantam bem o fado e são, na sua maioria, semi-profissionais.

O preço médio da refeição é de 40€ por pessoa. Muito frequentado por turistas estrangeiros.

clube fado lisboa

TASCA DO CHICO

Se gosta de luxos, de lugares impolutos e de um ótimo atendimento então… Não vá à tasca do Chico!

A tasca do Chico fica localizada no bairro alto e passar lá um serão é uma experiência sociológica. Lá poderá ouvir fado vadio (alguns pouco talentosos) e pontualmente poderá também ouvir alguns fadistas profissionais que por lá aparecem de forma ocasional e sem qualquer agendamento prévio. Na tasca do Chico pode comer e beber bem por pouco dinheiro e observar uma atmosfera tipicamente portuguesa.

E Portugal não é (só) aquele país maravilhoso que o turismo tenta vender. O verdadeiro Portugal pode ser encontrado também na tasca do Chico, com taxistas e canalizadores a cantar o fado, com um atendimento (às vezes) sofrível e com uma atmosfera de bairro.

tasca do chico - fado - bairro alto

Clique AQUI se quiser obter mais informações sobre os nossos cursos de português.

Como pedir uma cerveja em Portugal

Encomendar uma cerveja em Portugal

Apesar de ser um país pequeno, Portugal tem um número surpreendentemente elevado de marcas de cerveja. No entanto, as marcas mais importantes são a Super Bock, Sagres e Cristal. A Super Bock detém 40% do mercado em Portugal.

A cerveja é a terceira bebida mais importante do mundo!

Os portugueses têm muitas palavras e expressões diferentes para pedir esta grande bebida. O tamanho da cerveja que pretende obter é importante para decidir quais são as palavras que deve usar em Portugal. Quando se quer pedir uma cerveja em português, não se pode dizer apenas “Uma cerveja por favor”!

Lisboa e Porto

Os diferentes nomes das cervejas variam não só de acordo com o tamanho da bebida, mas também de acordo com a região ou cidade onde está a comprar a sua cerveja. Na capital de Portugal, Lisboa, a maioria das pessoas diz: “Uma imperial por favor” (“imperial” significa uma cerveja à pressão).

No entanto, se estiver de visita ao Porto e pedir uma cerveja, ninguém vai entender o que quer se estiver a pedir uma “imperial” (ou pelo menos, não vão gostar porque a palavra “imperial” é usada em… Lisboa). No Norte do país, é preciso dizer: “um fino por favor” o que significa.

Caneca e Girafa

Mas se estiver num daqueles dias em que sente que tem de beber mais do que o habitual, tem duas opções em Lisboa. Pode pedir uma “Caneca” (500 cl – o mesmo tamanho de um copo de “pint” no Reino Unido). Ou pode pedir uma “Girafa”. Esta última é realmente enorme!

Garrafa

No entanto, se quiser beber cerveja em garrafa deve pedir uma “Super Bock” ou uma “Sagres”. Na verdade, tudo o que tem a dizer é: “uma Sagres” ou uma “Super Bock por favor”.

Se em vez disso quiser uma garrafa pequena, pode apenas dizer: “uma mini” (25 cl). Pode comprá-la em todos os cafés e restaurantes de Portugal.

Preços

Se gosta de cerveja e se vem a Portugal, ficará contente por saber que uma cerveja num restaurante ou num café em Lisboa (em todo o país, de facto), custa entre 1 e 1,5 euros. E se preferir comprá-la num supermercado, o preço desce para 0,40 euros por garrafa. Nada mau…

Frases rápidas e curtas para pedir uma cerveja:

  1. “Uma cerveja se faz favor”
  2. “Uma cerveja por favor”
  3. “Duas cervejas por favor” –
  4. “Uma cerveja fresca por favor”
  5. “Uma mini por favor” (Super Bock ou Sagres)
  6. “Uma lata de cerveja por favor”

Alguns tipos de Super Bock

  • Clássico (5,8%)
  • Original (5%)
  • Cerveja preta (5%)
  • Sem álcool

Alguns tipos de Sagres:

  • Sagres clássico (5%)
  • Preto (4,3%)
  • Boémio (6,2%)
  • Sem álcool (9,3%)

Misturar cerveja com outra coisa

A cerveja em si é óptima, mas se a misturarmos com outra bebida também pode ser saborosa! Os portugueses gostam de a misturar com 7up. O nome desta bebida é “panachê”. Mas as pessoas também gostam de misturar cerveja com groselha (chamam-lhe “groselha” em português). O nome desta combinação (cerveja e groselha) é “tango”. Mais uma vez, o preço é de cerca de 1 euro.

Acreditamos que agora está totalmente preparado para pedir uma cerveja em português, por isso… Saúde!

Clique AQUI se quiser obter mais informações sobre as nossas aulas de português!